Coordenador/a Nacional de Proteção da Criança (Salvaguarda)

A SOS Children's Villages International é uma organização global criada em 1949 que trabalha para atender às necessidades e proteger os interesses e direitos das crianças que perderam os cuidados parentais e aqueles em risco de os perder. A SOS Children's Villages International trabalha através de associações membros em 135 países em todo o mundo.

 

Aldeias de Crianças SOS da Guiné-Bissau é uma associação nacional não governamental de desenvolvimento e membro da Federação Internacional das Aldeias Crianças SOS que desde 1994 vem desenvolvendo as suas atividades no sentido de atender às necessidades e preocupações das crianças. A SOS Guiné-Bissau desenvolve e gere um grande leque de programas e projetos em Bissau, Gabú e Canchungo, incluindo programas de fortalecimento familiar, programas para jovens, escolas primárias e secundárias, jardins infantis, um centro de formação profissional e vários projetos comunitários. 

SFC-beneficiary_Bissau_SOSCV_2022.jpg

A Direção Nacional das Aldeias de Crianças SOS da Guiné-Bissau, pretende recrutar um(a) Coordenador(a) de Proteção da Criança com disponibilidade imediata.

Resumo do posto

O Coordenador Nacional de Proteção da Criança, tem com missão de oferecer a orientação e liderança técnica na conceção, implementação, monitorização e avaliação de estratégias, processos, projetos e atividades de proteção da criança das Aldeias das Crianças SOS. facilitar o desenvolvimento de propostas de proteção da criança, e também assegurar o apoio qualitativo para a implementação da política de proteção de criança em particular a sua prevenção, denúncia, reação as incidentes, monitoramento e avaliação e da sua execução.

Principais tarefas

  • Assegurar o desenvolvimento de estratégias nacionais claras para a implementação da política de proteção infantil SOS.

  • Coordenar, apoiar e assegurar a coerência na planificação estratégica para a proteção da criança

  •  Fornecer informação, aconselhamento e expertise no domínio do trabalho, em relação às prioridades identificadas

  • Conduzir as missões de avaliação de proteção da criança aos programas, fazer recomendações relevantes e dar seguimento com o apoio da gestão nacional da Aldeia de Crianças SOS.

  • Estabelecer mecanismos que incentivem a participação de crianças e jovens em todos os programas da Aldeia de crianças SOS

  • Participar em todos os processos de admissão, de saída de crianças e jovens das Aldeias e Casas de Crianças SOS e o seu acompanhamento após a reunificação familiar, a fim de minimizar os riscos de proteção da criança.

  • Manter dados estatísticos sobre a política de proteção de crianças SOS, incluindo a atualização mensal do registo nacional dos incidentes internos.

  • Trabalhar em colaboração com o departamento de recursos humanos para orientar o pessoal recém-recrutado.       

  • Aconselhar os pontos focais a nível local sobre o desenvolvimento dos recursos necessários (ferramentas, sistemas e estruturas), através de workshops, reuniões, etc.

  • Dirigir o processo de programação nacional neste domínio de atividade. Assegurar que sejam definidas metas, objetivos e ações adequados.

  • Recolher as informações relevantes, dentro e fora da organização, para apoiar o desenvolvimento de atividades de proteção da criança.

  •  Preparar relatórios periódicos e anuais relacionados com a proteção da criança.

  • Trabalhar em estreita colaboração com o responsável Crianças e Jovens da SOS através de reuniões e visitas regulares.

  • Executar quaisquer outras tarefas solicitadas pelo seu superior hierárquico dentro da sua descrição de posto.

​​Qualificações e Habilidades 

 

  • Nível Académico: Licenciatura em Direito, Ciências Sociais, Sociologia ou áreas afins

  • Cinco (5) anos de experiência, dos quais pelo menos três (3) em ONGs ou Organizações da Sociedade Civil, Projetos de desenvolvimento, Gestão de Pessoas, Programas Sociais

  • Domínio de tópicos relativos à proteção das crianças e direitos das crianças. Ter bom conhecimentos sobre Convenções e Tratados Internacionais dos Direitos das Crianças e Adolescentes (Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos de Criança; Carta Africana sobre os Direitos e Bem-estar da criança, etc.)

  • Capacidade de trabalhar no sentido de promover os direitos da criança de forma integral e com um impacto durável e direto no bem-estar dos mesmos

  • Capacidade de analisar, organizar e resolver problemas e conflitos.

  • Boa capacidade de redação.

  • Perfeito domínio do português e crioulo.

  • Bom domínio do francês (escrito / oral) e/ou inglês.

  • Bons conhecimentos práticos do Microsoft Office (Word, Excel, Power Point, etc.)

  • Possuir a capacidade de facilitação e de formação.

  • Habilidades de comunicação.

As candidaturas femininas são fortemente encorajadas

OBS: Os Termos de Referência dos postos acima estão disponíveis na Direção nacional das Aldeias de Crianças SOS.

 

O que nós representamos:

 

As Aldeias de Crianças SOS estão empenhadas em criar e manter um ambiente protetor que promova os seus valores fundamentais e evite o abuso e a exploração de crianças. Condenamos

veementemente todas as formas de violência e exploração de crianças, tanto dentro como fora da nossa organização, e respondemos apropriadamente a qualquer abuso comprovado ou suspeito e qualquer tentativa de abuso. Estamos a desenvolver mecanismos para aumentar a consciencialização, prevenir, estimular a denúncia e facilitar a resposta. As nossas ações podem variar de medidas de desenvolvimento de pessoal, como formação e aconselhamento, até medidas como suspensão, demissão ou ação judicial.

Nós oferecemos

 

  • Salário e benefícios atraentes

  • Um ambiente de trabalho de equipa encorajador

  • A oportunidade de trabalhar para uma ONG internacional respeitada e reconhecida

Como candidatar-se?

Envie um e-mail para recrutamento.nogw@sosbissau.org com:

  • Um Curriculum Vitae em português

  • Uma carta de motivação em francês ou inglês

  • Uma cópia digital de diplomas e certificados

  • Três (3) referências profissionais (com pelo menos um supervisor)

O prazo para candidaturas decorre até 25 de agosto 2022