Consultor (Avaliação de necessidades)

As Aldeias de Crianças SOS Internacional fazem parte da federação mundial de Aldeias de Crianças SOS. Na qualidade de organização não governamental de desenvolvimento social, apoiamos crianças privadas de cuidados de pais e famílias em condições difíceis, através de cuidados, educação, saúde e ajuda de emergência, e defendemos os direitos das crianças e dos jovens, em colaboração com uma ampla diversidade de parceiros. Trabalhamos em 135 países e territórios, atingindo mais de um milhão de crianças, jovens, famílias e prestadores de cuidados em cada ano.

As Aldeias de Crianças SOS da Guiné-Bissau são uma Associação Nacional de Desenvolvimento Não Governamental e membro da Federação Internacional de Aldeias de Crianças SOS e estão comprometidas com esta causa desde 1984. As Aldeias de Crianças SOS da Guiné-Bissau administram uma ampla gama de programas em Bissau, Canchungo e Gabú. Esses programas incluem o fortalecimento da família, programas para jovens, bem como escolas primárias e secundárias. Para nos ajudar a assumir esta importante responsabilidade, estamos atualmente a procurar um Gestor de Recursos Humanos e Desenvolvimento Organizacional.

IMG_1765.JPG

Anúncio público

Aldeias de crianças SOS Guiné-Bissau é uma organização nacional, não governamental, sem fins lucrativos e não religiosa, de desenvolvimento social que trabalha em prol das crianças desfavorecidas, das suas famílias e das suas comunidades. No quadro da adequação dos seus serviços de cuidados às necessidades do grupo alvo, a SOS pretende contratar um gabinete de Consultoria, nacional ou estrangeiro, para a realização de uma avaliação de necessidades do seu grupo alvo nas localidades de Bissau, Gabu e Canchungo.

 

Uma avaliação das necessidades fornece uma análise objetiva das necessidades do grupo-alvo em cada programa específico. Para os programas e intervenções em curso, deve ser realizada uma vez por ciclo de programa (3-5 anos) uma avaliação das necessidades, em conformidade com a abordagem SOS de gestão baseada em resultados, a fim de informar o pessoal da SOS se a organização é a parte interessada melhor colocada ou posicionada para intervir numa dada comunidade, e para fornecer informação atualizada sobre o contexto e as necessidades mais críticas do grupo-alvo.

O estudo visa também ouvir os parceiros e partes interessadas, recolher informações sobre a situação e contexto locais, bem como sobre as necessidades das famílias, jovens e crianças em situações de vulnerabilidade, recolhendo as suas contribuições relativamente às soluções propostas e recomendações sobre os serviços e intervenções adequados as suas necessidades e, por conseguinte, constituir uma base solida para o desenvolvimento de um conceito de programa. A(s) pessoa(s) (individuais ou coletivas) que realiza(m) este estudo/avaliação das necessidades deve(m) ter um conhecimento profundo do sector social nacional (especialmente os subsetores da criança e da família), dos principais atores públicos e privados e do contexto local em termos das principais questões que afetam as famílias vulneráveis (desemprego, pobreza, acesso aos serviços públicos básicos, estrutura familiar, alcoolismo, toxicodependência, VBG) e as crianças em situação de risco (mendicidade infantil, abuso de crianças, trabalho infantil e etc.), bem como das políticas e medidas públicas relativas à proteção da criança e ao empoderamento da família.

O(s) consultor(es) deve(m) ter competência e experiência comprovadas na realização de investigação social. Uma formação em ciências sociais, por exemplo, ensino superior em trabalho social, psicologia, pedagogia social, desenvolvimento comunitário, direito, é vantajosa. A condição prévia para o envolvimento de um perito externo, é que este entrevista o pessoal chave do programa SOS para uma melhor compreensão dos programas e políticas SOS. É obrigatório assegurar que os interesses e abordagens da organização sejam bem representados. O pessoal de SOS tem de ser envolvido na elaboração das conclusões e no desenvolvimento de recomendações.

 

A(s) pessoa(s) que realiza(m) este estudo deve(m) estar bem familiarizada(s) com os principais documentos de política SOS, especialmente os relacionados com a proteção de crianças. O relatório deve ser escrito em francês, pelo que a pessoa deve também ser proficiente em francês (oral e escrito).

Os/as concorrentes poderão obter mais informações e/ou esclarecimentos, incluindo os Termos de Referência na Direção Nacional de Coordenação SOS, em Bissau ou solicitando-os através do seguinte endereço eletrónico: susana.correia@sosbissau.org As candidaturas podem ser submetidas eletronicamente em formato PDF e enviadas até o dia 30 de junho 2022, às16horas de Bissau para o seguinte endereço eletrónico: recrutamento.nogw@sosbissau.org CC para susana.correia@sosbissau.org

 

Em caso impossibilidade de envio eletrónico das candidaturas, os concorrentes podem dirigir-se à:

 

DIRECÃO NACIONAL DE COORDENAÇÃO Aldeias de Crianças SOS Guiné Bissau, Rua D. Settimio Arturo Ferrazzetta (Estrada de Granja) B.P: B 696 Bissau Guiné-Bissau Tel.: +245/95 606 98 76.

 

 

Encorajamos as candidaturas femininas e oferecemos honorários compatíveis com a tarefa, assim como, a oportunidade de prestar serviço para uma ONG reconhecida e de boa reputação.

Termos de referência

As candidaturas femininas são fortemente encorajadas

O prazo para candidaturas decorre até 30 de junho de 2022